sexta-feira, 19 de Outubro de 2018 | 05:10:22 | Tempo e temperatura: Iúna/ES pcm Possibilidade de Chuva pela Manhã, 14º/24º
Notícia
  • publicidade 023 Notícias
Laboratório da UFRN cria app para monitorar focos de Aedes Observatório do Aedes aegypti

Laboratório da UFRN cria app para monitorar focos de Aedes

Lançamento para plataforma Android foi na sexta-feira (12). No Portal Cidade Agora você encontra o link para baixar

24/02/2016 as 09h34 (Atualizado em 17/10/2018 as 11h35). Valdir Vieira | G1

O Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte lançou na última sexta-feira (12) um aplicativo para auxiliar no combate ao mosquito Aedes aegypti. De acordo com o coordenador do Lais, Ricardo Valentim, o app 'observatório do Aedes aegypti' foi criado para complementar projetos anteriores de combate a dengue e para se adaptar ao perfil de possíveis novos usuários.

Usuários podem denunciar focos do mosquito usando smartphones e tablets.

Aplicativo

O observatório do Aedes aegypti está disponível para download apenas em smartphones que utilizam sistema operacional Android. Após o download, o usuário pode denunciar tanto casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya, como possíveis criadouros do mosquito - prédios abandonados, terrenos com lixo acumulato e etc - por meio de fotos, áudios e vídeos.

Para fazer a denúncia, também é necessário que o usuário realize um pequeno cadastro, com nome, telefone, e-mail e endereço. De acordo com Valentim, os dados são importantes para que as autoridades façam a checagem das denúncias, a fim de evitar trotes.

As denúncias e notificações realizadas através do aplicativo são enviadas diretamente para as salas de monitoramento das secretarias de saúde estaduais. "Foi feita uma determinação a nível federal para que todos os estados montem essa sala de situação para ficar monitorando essa situação e enviando relatórios para a Defesa Civil a nível federal", explicou Valentim. Ainda segundo o coordenador, o aplicativo já recebeu adesão de usuários de Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

De acordo com o coordenador, o próximo passo do laboratório é a criação de um 'Portal da Transparência', para que todos os usuários possam monitorar se as denúncias estão recebendo resposta pelo poder público.

  • publicidade 021
Desenvolvido em Software Livre por Logomarca da Imppactmidia