domingo, 21 de Outubro de 2018 | 05:10:49 | Tempo e temperatura: Iúna/ES pn Parcialmente Nublado, 12º/26º
Notícia
  • publicidade 023 Notícias
Carnaval: Marchinhas continuam liderando Muitos artistas só recebem direitos autorais nesta época

Carnaval: Marchinhas continuam liderando

ECAD distribui R$ 19 milhões em direitos autorais relativos ao Carnaval 2016

20/06/2016 as 17h06 (Atualizado em 20/10/2018 as 01h49). Valdir Vieira | ECAD

O Ecad distribuiu, no mês de maio, R$ 19.080.822,51 para 18.018 titulares de música (compositores, intérpretes, músicos, editores e produtores fonográficos) e associações relativos aos direitos autorais pelas músicas executadas em bailes, clubes, casas de diversão, blocos, apresentações em coretos e shows de Carnaval. Este valor representa um aumento de 12,6% em relação ao que foi distribuído no mesmo período do ano passado pela instituição.

A clássica marchinha “Mamãe eu quero” liderou, pela terceira vez consecutiva, o ranking das canções mais executadas durante todos os dias de folia em clubes, casas de diversão, coretos, bailes carnavalescos e eventos de rua (exceto shows), seguida de “Me dá um dinheiro aí”, “Cabeleira do Zezé”, “A jardineira” e “O teu cabelo não nega”.  Já no ranking dos titulares que mais receberam direitos autorais pelas canções tocadas nestas festas, João Roberto Kelly aparece no topo da lista (marca atingida por ele desde o ano de 2008), seguido de Braguinha, Haroldo Lobo, Lamartine Babo e Jorge Ben Jor. “Eu fico feliz por receber o direito autoral da música ‘Cabeleira do Zezé’ e de tantas outras músicas que eu tenho. Eu não sei o que seria de um compositor se ele não recebesse o direito autoral. E é importante também que as pessoas que usam a música do compositor paguem o direito autoral devido porque é um direito nosso”, defende João Roberto Kelly, que também compôs as marchinhas “ Maria Sapatão” e “Mulata iê iê iê”, na campanha “Vozes em defesa do direito autoral”.

Já nos shows de Carnaval, incluindo as apresentações feitas nos trios elétricos, “Aquele 1%”, sucesso interpretado pela dupla Marcos e Belutti e Wesley Safadão, “Assiste aí de camarote”, “Paredão metralhadora”, “Não quero dinheiro” e “País tropical” foram as canções mais tocadas. Carlinhos Brown, Filipe Escandurras, Durval Lelys, Magno Santana e Manno Góes foram os cinco artistas que mais receberam pelas obras tocadas nos shows de Carnaval e trios elétricos.  Abaixo seguem os rankings com as canções mais executadas e os autores que mais receberam direitos autorais das músicas tocadas durante o Carnaval, segundo o Ecad.

O trabalho do Ecad em defesa do direito dos artistas é especialmente importante no Carnaval, uma vez que muitos artistas só recebem direitos autorais nesta época, como os autores das marchinhas, que não costumam tocar durante o restante do ano. No caso dos autores já falecidos, são os seus herdeiros que recebem os direitos autorais de execução pública musical por 70 anos após a morte do último autor da obra. Vale lembrar que a metodologia de amostragem utilizada na distribuição de Carnaval é certificada pelo Ibope, o que reforça o compromisso do Ecad em remunerar, de forma cada vez mais precisa, os titulares de direitos autorais.

Obras mais executadas no Carnaval de 2016

Ranking das canções mais executadas durante todos os dias de folia em clubes, casas de diversão, coretos, bailes carnavalescos e eventos de rua.

Autores com maior rendimento em shows, no Carnaval 2016

Músicas mais executadas em shows no Carnaval 2016

 

  • publicidade 021
Desenvolvido em Software Livre por Logomarca da Imppactmidia