segunda-feira, 20 de Agosto de 2018 | 11:08:07 | Tempo e temperatura: Iúna/ES pn Parcialmente Nublado, 12º/26º
Notícia
  • publicidade 027 ExataAmbiental 2 300x92
  • publicidade 027 ExataAmbiental 300x92
Ações de enfrentamento da seca são destaque em Castelo Ações de enfrentamento da seca em Castelo

Ações de enfrentamento da seca são destaque em Castelo

O extensionista Edimar Celin explicou de que maneira esse cenário impactou os agricultores do município.

14/11/2017 as 17h17 (Atualizado em 19/08/2018 as 05h43). Redação | Incaper

O município de Castelo, no Sul do Estado, foi bastante atingido pela estiagem nos últimos três anos. A fim de minimizar os impactos da seca e ampliar a reservação de água no município, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) desenvolveu várias ações e atividades em conjunto com os agricultores do município.

De acordo com o Serviço de Informações Meteorológicas do Incaper, houve um desvio relativo no acumulado de chuvas no município de Castelo de 37,54% em 2015 e 18,27% em 2016 em relação à média histórica. Neste ano, choveu de janeiro até setembro 360,4 mm, sendo que o esperado para esse período é 782 mm.

O extensionista Edimar Celin explicou de que maneira esse cenário impactou os agricultores do município. “Nos diagnósticos comunitários feitos pelos técnicos do escritório local do Incaper em Castelo, sempre esteve presente a preocupação dos agricultores com a baixa disponibilidade de água em suas propriedades para os seus diversos usos. Por isso, foram programadas diversas ações para enfrentamento da seca”, explicou Edimar.

Ele disse que o Instituto, diante desse contexto, realizou projetos e acompanhamentos de execuções de barragens de pequeno porte (simplificado), projetos de irrigação, outorgas de direito de uso de água, projetos de proteção de nascentes, de caixas de retenção de água de chuva e de recuperação de pastagens degradadas, cursos sobre recursos hídricos, entre outras ações. 

Ações desenvolvidas

Em termos de reservação de água, o Incaper desenvolveu 190 projetos de barragens de terra de pequeno porte, licenciadas no Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf), sem custos para os agricultores. Também foram executadas 160 barragens de terra de pequeno porte, com acompanhamento técnico profissional, com capacidade total de reservação de água de aproximadamente 480.000 m3, com finalidade de irrigação, dessedentação de animais, piscicultura, entre outras atividades.

Segundo o cafeicultor Jonas Sartori Giori, da Fazenda Prata, em Castelo, ele teve uma perda de 70% na sua produção total esperada de café conilon na colheita de 2015. “Com a construção da barragem em minha propriedade, as perdas nas colheitas de 2016 e 2017 foram minimizadas e com a água reservada estou conseguindo renovar minha lavoura com clones mais vigorosos”, relatou o agricultor.

Ao longo desses três anos, o Incaper atuou também na elaboração de projetos de construção de caixas de retenção de água de chuva às margens das estradas internas de 20 propriedades rurais.

No que se refere ao uso eficiente e racional da água, foram feitos 160 projetos de dimensionamento de irrigação, com avaliação em campo da uniformidade de distribuição de água, totalizando uma área irrigada de aproximadamente 640 hectares, com diferentes culturas, como café conilon, café arábica, fruticultura, pastagens e olerícolas.

Na visão do extensionista Caio Louzada, mestre em irrigação, o uso racional da água foi incentivado no município. “A adoção prática do correto dimensionamento e manejo dos sistemas de irrigação despertaram o interesse dos produtores na elaboração dos projetos de irrigação, com funcionamento adequado dos equipamentos. O projeto de irrigação e manejo compatível com a realidade local apresentou várias vantagens, destacando-se o aumento da produtividade, o aumento da rentabilidade, a ampliação da área irrigada, a otimização da utilização da água, da mão de obra, da energia elétrica, de nutrientes e outros insumos, além da preservação do meio ambiente”, explicou Caio.

Já na área de recuperação e preservação ambiental, foram feitos 15 projetos de recuperação de pastagens degradadas, totalizando uma área de 140 hectares; 30 projetos de preservação de nascentes, com captação correta de água para o consumo humano, visando à melhoria da qualidade da água para os agricultores; e 10 projetos de reflorestamento de áreas de preservação de permanente, anteriormente ocupadas com eucalipto.

Além das ações citadas, também foram feitos 150 processos de solicitação de outorga de direito de uso de água junto a Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGERH); e 60 projetos de crédito rural (investimento), com finalidade de construção de barragens, renovação de lavouras debilitadas com a seca, irrigação e recuperação de pastagens.

Todas essas medidas beneficiaram os agricultores do município de Castelo. “Os agricultores que estão construindo reservatórios de água, fazendo uso de sistemas de irrigação mais eficientes e trabalhando corretamente a conservação de solo estão conseguindo manter suas propriedades produtivas, mesmo com os baixos índices pluviométricos ocorridos nos últimos anos. A sustentabilidade das propriedades depende do uso sustentável dos recursos naturais, em especial, solo e água”, concluiu Edimar.

 

Texto: Luciana Silvestre Girelli

Assessoria de Comunicação do Incaper

 

 

  • publicidade 021
Desenvolvido em Software Livre por Logomarca da Imppactmidia