sexta-feira, 19 de Outubro de 2018 | 05:10:57 | Tempo e temperatura: Iúna/ES pcm Possibilidade de Chuva pela Manhã, 14º/24º

Polícia

Caso Alessandro: Polícia prende suspeitos

Delegado diz que prisão pode ter evitado dois assassinatos em Piúma no litoral sul do Espírito Santo no sábado de carnaval

04/02/2016 - 00:41hs, Postado por Valdir Vieira, Fonte: Polícia Civil

Após um longo trabalho investigativo da Polícia Civil de Iúna, liderado pelo Delegado José Augusto Militão Guedes, nesta quarta–feira (03) foi deflagrada uma operação conjunta entre polícia civil de Iúna, polícia civil de Ibatiba, GAO (Grupo de Apoio Operacional) do 14º BPM, e guarnição da 2ª Cia, onde foram detidas  05 pessoas por associação criminosa, homicídio e ocultação de cadáver.

A polícia acredita que eles estejam envolvidos no desaparecimento de Alessandro Vieira Machado, que sumiu de sua propriedade no córrego Santo Antônio em Iúna no último dia 04 de janeiro.

Segundo a Polícia Civil, o sucesso na operação foi fruto de incansáveis investigações, onde foram ouvidas várias pessoas. Desta forma, a polícia acredita, ser eles, os responsáveis pelo desaparecimento e supostamente morte de Alessandro Vieira Machado, 37 anos.

Prisão de Pistoleiro

O delegado José Augusto Militão falou com exclusividade para o Portal Cidade Agora, e disse que com a prisão realizada de um dos supostamente envolvidos, a polícia pode ter evitado dois assassinatos encomendados para o sábado de carnaval na cidade de Piúma no litoral do Espírito Santo.  (Veja o vídeo abaixo)

Na operação foram detidos e conduzidos para o DPJ de Venda Nova do Imigrante, como suspeitos, um individuo que reside próximo a propriedade onde estava Alessandro, quando desapareceu, a esposa deste indivíduo e os dois filhos; além do caseiro do sítio.

A polícia acredita que Alessandro realmente foi morto. O delegado José Augusto Militão Guedes espera solucionar totalmente o caso em breve.

“O corpo ainda não foi encontrado, mas, com as provas que temos, foi possível serem autuados por ocultação de cadáver e pela associação criminosa, que são crimes permanentes. Esperamos com esta prisão continuar a investigação, localizando o corpo para que a família possa enterrar o seu ente querido.” frisou o delegado.

Desenvolvido em Software Livre por Logomarca da Imppactmidia